Quem sou eu

Minha foto
São Paulo - Zit Zona Sul, São Paulo - Capital, Brazil
Claudio Rufino, Pós Graduado em Gestão Empresarial (MBA-Gestão Empresarial), Bacharel em Ciências Contábeis, Técnico em contabilidade, professor de contabilidade, Educador Financeiro, Graduando em Ciências Juridicas. Na década de 90 formado em "Técnico em Contabilidade" precisamente no ano de 1992 pelo Colégio Cenecista Professor Henrique José de Souza(CNEC), no estado do Rio de Janeiro. Pós Geaduado em Gestão Empresarial - MBA pela Universidade Ibirapuera, Graduado em Ciências Contábeis pela FASUP - FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO - São Paulo - SP. Atuando como Empresário Contábil na Zona Sul de São Paulo. Atuante na área contábil desde 1993, somando conhecimentos para obter resultados com excelência e qualidade. Claudio Rufino, desde 1993 prestando serviços com excelência e qualidade. www.fcscontabeis.com.br https://www.facebook.com/fcscontabeis

sábado, 30 de julho de 2016

AJUSTES CONTÁBEIS DE EXERCÍCIOS ANTERIORE - uma duvida recorrente



Os lançamentos fatos contábeis registrados de maneira errada encerrado o exercício, e conseqüentemente lançados no Livro Diário, podem interferir de maneira significativa na apuração do resultado da entidade e com isso até mesmo alterar a base de cálculo do IRPJ e CSLL do período em questão.

Os ajustes de exercícios anteriores são apenas os imputados a mudança de critério contábil, ou da retificação de erro de exercícios anteriores, e que não vão poder ser atribuídos nos próximos períodos.

Tais correções serão lançadas em contrapartida do Patrimônio Líquido, na conta de Lucros ou Prejuízos Acumulados, podendo ser a débito ou a crédito dependendo do ajuste aplicado.

Os lançamentos contábeis mais comuns feitos pelas empresas são os decorrentes de despesas lançadas a menor, receita lançada a menor, e a falta de lançamento de um bem do Ativo, pela alienação, perda ou deterioração.

Para exemplificarmos tal correção, consideremos um Máquina Industrial ainda constando no Imobilizado, mesmo depois de vendida no período anterior.

Teríamos a seguinte contabilização do ajuste:

D- Ajustes de Exercícios Anteriores (Patrimônio Líquido)
C- Máquina Industrial – Imobilizado (Ativo Não Circulante)

Pelo ajuste do Imobilizado ao final do período na apuração do Lucro/Prejuízo:

D- Lucro/Prejuízo Acumulado (Patrimônio Líquido)
C- Ajustes de Exercícios Anteriores (Patrimônio Líquido)

Pela baixa da Depreciação:

D- Depreciação Acumulada – Conta Redutora (Ativo Não Circulante)
C- Ajustes de Exercícios Anteriores (Patrimônio Líquido)

Pelo ajuste da depreciação ao final do período na apuração do Lucro/Prejuízo:

D- Ajustes de Exercícios Anteriores (Patrimônio Líquido)
C- Lucro/Prejuízo Acumulado (Patrimônio Líquido)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, comente e divulgue, seja disseminador de informações.