Quem sou eu

Minha foto
São Paulo - Zit Zona Sul, São Paulo - Capital, Brazil
Claudio Rufino, Pós Graduado em Gestão Empresarial (MBA-Gestão Empresarial), Bacharel em Ciências Contábeis, Técnico em contabilidade, professor de contabilidade, Educador Financeiro, Graduando em Ciências Juridicas. Na década de 90 formado em "Técnico em Contabilidade" precisamente no ano de 1992 pelo Colégio Cenecista Professor Henrique José de Souza(CNEC), no estado do Rio de Janeiro. Pós Geaduado em Gestão Empresarial - MBA pela Universidade Ibirapuera, Graduado em Ciências Contábeis pela FASUP - FACULDADE SUDOESTE PAULISTANO - São Paulo - SP. Atuando como Empresário Contábil na Zona Sul de São Paulo. Atuante na área contábil desde 1993, somando conhecimentos para obter resultados com excelência e qualidade. Claudio Rufino, desde 1993 prestando serviços com excelência e qualidade. www.fcscontabeis.com.br https://www.facebook.com/fcscontabeis

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Análise de Balanço - I Parte


Estimados, vamos estudar um pouco sobre análise de balanço.

ÍNDICES DE LIQUIDEZ
Indicam a capacidade que a empresa tem de saldar as suas dividas. Quanto maior, melhor.

Liquidez Absoluta ou Imediata
= Ativo Circulante Disponível (:) Passivo circulante
Expressa a fração de reais que a empresa dispõe de imediato para saldar cada R$1,00 de suas dívidas a curto prazo.
Exemplo:
1.299  =0,17
7.647
R$ 0,17 para cada R$ 1,00 de divida no curto prazo.

Liquidez Corrente
(Normal) = Ativo Circulante (:) Passivo Circulante
Quanto a empresa possui em termos de disponibilidade imediata e direitos a curto prazo para cada  R$ 1,00 de divida circulante. Quando superior a 1 indica capital circulante liquido positivo; quando igual a 1, inexistência de CCL; quando inferior a 1, a empresa está operando com CCL negativo.
Exemplo:
9.620 =1,26
7.647
R$ 1,26 no circulante para cada R$ 1,00 de divida no curto prazo.

Liquidez Seca
= (Ativo Circulante menos Estoques menos Despesas Antecipadas) (:) Passivo
Circulante Dividas a curto prazo que podem ser pagas através de ativos circulantes de maior liquidez.
Exemplo:
9.620(-)4.467 = 0,67
      7.647       
R$ 0,67 de ativos de maior liquidez para cada R$ 1,00 de dívida no curto prazo.

Liquidez Geral
(Total) = (Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo) (:) (Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo) 
Quanto a empresa possui em termos de ativos monetários e estoques em relação ao total de suas dividas.
9.620(+)0 =  0,45
7.647 (+) 13.677
R$ 0,45 de ativo monetário para cada R$ 1,00 de divida.
ÍNDICES DE ROTATIVIDADE (Operacionais)
Indicam a obtenção da liquidez de cada uma das fases do ciclo operacional (estoques, contas a pagar.)

Rotação do Ativo
 = Ativo Total (:) Vendas Mensais
Expressa o número de meses de vendas que seria necessário para cobrir o patrimônio global da empresa. 
Este índice tem como finalidade verificar qual o ativo cujo giro muito lento está contribuindo para o giro lento do ativo total. Muitas vezes, a culpa reside no estoque e nos valores a receber: aqueles, por causa da superestocagem na espera de acréscimo nos preços de compra; estes, usualmente como conseqüência de uma inadequada política de crédito e cobranças. 

Rotação dos Estoques
(anual) = Estoques (:) CMV (x) 360
Número médio de dias que a empresa efetua a renovação de todo o seu estoque.

Rotação do Patrimônio
 = Patrimônio Líquido (:) Vendas Mensais
Expressa a quantidade de meses de vendas que seria necessário para cobrir o total dos recursos próprios investidos na empresa. 
A redução sucessiva deste índice, numa série desejável até certo ponto, significaria que a empresa está se apossando de uma fatia maior do mercado, cujo atendimento, mais cedo ou mais tarde, necessitará aumentar seu patrimônio líquido em termos contábeis. É um sintoma de crescimento altamente desejável, quando não seja explosivo e configure volume de negócios superior às possibilidades do financiamento de vendas pelo patrimônio líquido. 
Uma elevação neste índice significará que o volume de vendas não está acompanhando o crescimento da empresa e, portanto, a médio prazo, os lucros proporcionados pelas vendas serão insuficientes para remunerar o capital investido. 

Rotação do Capital de Giro
 = Capital de Giro Próprio (:) Vendas Mensais
Demonstra a proporção de capital de giro que a empresa possui para fazer face ao seu volume mensal de vendas. Expressa a quantidade de reais de capital de giro que foi necessário para se conseguir cada real de vendas. 
O índice resultante de um pequeno capital de giro por alto volume de vendas será logicamente baixo e significará não somente uma baixa proporção de capital de giro para o financiamento das vendas, mas que a empresa tem necessidade de recorrer a financiamento de terceiros e, naturalmente, parte dos lucros ficará então com terceiros. 
Se esse índice for declinante, arrochará, naturalmente a situação.      

Rotação do Ativo Circulante
 = Ativo Circulante (:) Vendas Mensais  
O volume de vendas a prazo de uma companhia exige um volume de capital circulante, contabilmente classificado como disponível e ativo realizável, que lhe é diretamente proporcional. Maiores vendas a prazo, maior necessidade de capital circulante, embora essa proporcionalidade possa ser quebrada no caso de o aumento das vendas ser financiado, total ou parcialmente por fornecedores.
Expressa o número de meses de vendas que seria necessário para cobrir o total de recursos circulantes da empresa. Deve o capital circulante aumentar na proporção do incremento das vendas, sob pena de a médio prazo, a companhia sentir sérias limitações financeiras na sua capacidade de produção.
A rotação do ativo circulante, quando em elevação significa que a empresa mantém em circulação recursos progressivamente superiores às suas necessidades de financiamento das vendas. Quando em regressão significa que o aumento das vendas não está sendo correspondido por um aumento de recursos destinados ao financiamento do volume adicional de vendas. 

Rotação de Contas a Receber
= Duplicatas a Receber (:) Vendas Anuais (x) 360
O saldo das contas a receber será sempre relativo às vendas mercantis. 
Representa o número de dias que a empresa deverá esperar para receber as dívidas de clientes.
A elevação deste índice significará um atraso relativo na cobrança de contas a receber, isto é, impontualidade de clientes, a menos que o valor da venda média sofra acentuado declínio.  

Rotação de Pagamentos
 = Fornecedores (:) Compras a Prazo Anuais (x) 360
Expressa o número de dias que a empresa demora em liquidar suas dívidas. 
Se uma empresa demora muito mais para receber suas vendas a prazo do que para pagar suas compras a prazo, irá necessitar mais capital de giro adicional para sustentar suas vendas, criando-se um círculo vicioso difícil de romper. Uma das poucas alternativas no caso é trabalhar, se for possível, com ampla margem de lucro sobre as vendas e tentar esticar ao máximo os prazos de pagamento adicionalmente a uma política agressiva de cobrança e desconto bancário.

ÍNDICES PATRIMONIAIS E DE ESTRUTURA
Indicam a participação própria e de terceiros na estrutura patrimonial da empresa.

Grau de Imobilização
 = Ativo Permanente (:) Patrimônio Líquido
O índice demonstra a proporção do capital próprio da empresa, com poder aquisitivo teoricamente atualizado, que se encontra aplicado em imobilizações. Nível de imobilização dos recursos próprios da empresa no volume total investido no ativo permanente. 
Naturalmente, não sendo inversões a finalidade das operações de uma empresa, a tendência desejável é de que este índice se apresente em declínio. 
Exemplo:
15.000  = 0,7771
19.302
Para cada R$ 1,00 de capital próprio, R$ 0,77 foi investido no ativo permanente.

Grau de Endividamento Curto Prazo em relação ao Patrimônio Líquido
= Passivo Circulante (:) Patrimônio Líquido
Demonstra a relação entre a dívida da empresa a curto prazo e o seu capital próprio, isto é, a quantidade de unidades de reais de propriedade de terceiros, liquidável a curto prazo, que a empresa suplementa a cada real de seu próprio capital, para dar curso às suas atividades.
A tendência desejável deste índice deve ser decrescente. Uma tendência ascendente, demonstrando maior grau de endividamento, se conjuga, em geral, com uma tendência declinante no índice de liquidez comum ou corrente. 

Grau de Endividamento em relação ao Patrimônio Líquido
 = Passivo Circulante (+) Passivo Exigível a Longo Prazo (:) Patrimônio Líquido
Demonstra a relação entre a dívida total da empresa e seu próprio capital, isto é, a quantidade de unidades de reais de propriedade de terceiros, que a empresa suplementa a cada real de próprio capital, para manter as atividades do seu empreendimento. 
Indica o nível de utilização de crédito. Quanto a empresa possui de capital de terceiros para cada R$ 1,00 de capital próprio investido. Se este índice for consistente durante vários anos e acentuadamente maior que 1 (um), denotaria uma dependência exagerada dos recursos de terceiros.
Devemos tomar cuidado com relação a projeção para captação de recursos quando vislumbramos uma necessidade ou oportunidade de expansão.  A tendência desejável deste índice é decrescente.   
Exemplo:
21.324  = 1,10
19.302
Para cada R$ 1,00 de capital próprio está sendo utilizado R$ 1,10 de capital de terceiro.

Grau de Endividamento Total
= Passivo Circulante (+) Passivo Exigível a Longo Prazo (:) Ativo Total
Quanto a empresa possui de capital de terceiros para cada R$ 1,00 de ativo total (AC + ARLP + AP)
Exemplo:
21324  = 0,52
40625
Para cada R$ 1,00 de ativo total, está sendo utilizado R$ 0,52 de capital de terceiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Participe, comente e divulgue, seja disseminador de informações.